NÍVEIS DE FORÇA DE PREENSÃO ASSOCIADOS COM FATORES ANTROPOMÉTRICOS EM CRIANÇAS NO MUNICÍPIO DE FUSAGASUGÁ, COLÔMBIA

Diana Marcela Zapata Torres, Danny Wilson Sanjuanelo Corredor, Edilberto Torres Mariño, Oscar Alejandro Bello Beltran, Diana Constanza Mora Bernal

Resumo


Introdução: De acordo com estatísticas da Organização Mundial de Saúde, afirma que as crianças devem ser a prioridade de todas as sociedades, considerando o bem-estar como elemento essencial para a redução da prevalência da doença. Este panorama global afeta todas as nações, no caso particular da Colômbia, o nível epidemiológico relata que crianças em idade escolar entre 5-12 anos há 24,4% de excesso de peso e em adolescentes entre 13-17 anos há 17,9% Objetivo: determinar os níveis de força preensão para estabelecer o risco cardiovascular associado aos componentes antropométricos, em escolas do Município de Fusagasugá, Colômbia Metodologia: estudo descritivo, corte transversal, participaram crianças e adolescentes, selecionados por conveniência. Se tomarão medidas de força preensão dinamômetro TKK 5101, peso Tanita BF689, altura estadiômetro 206, percentagem gordura, índice de cintura. Realizou-se uma análise de informação a partir de estatística descritiva e correlacionar. Implementou-se a normatividade estabelecida pelo Ministério de Saúde Resultados: participaram duas Instituições Educativas do Município de Fusagasugá, 283 homens estudantes escolares 58,7% e 199 mulheres estudantes 41,2%. A idade dos

participantes entre 10-17 anos Ao realizar a avaliação do índice de massa corporal general em todos os participantes toma-se como refere o Estudo Helena no qual indica como incremento de risco aqueles valores que sejam reportados >p75 o qual identifica que o 26% reporta incremento. Identifica-se excesso de índice de cintura em 140 escolares. Com respeito à variável de percentagem de gordura identifica-se maior incremento nas meninas que nos meninos Na variável de força preensão da mão direita identifica-se um crescimento ponderal de em meninos entre os 14- 16 anos com valores médios entre 26 ±5kg e 34 ±8kg Realiza-se a correlação entre as variáveis objeto de estudo, identificando que existe correlação positiva entre todas as variáveis com valores de probabilidade associados às correlações as quais se encontram entre 0,0391 e <0,0001 Conclusão: A partir das variáveis antropométricas identifica-se que as meninas reportam valores mais altos de IMC que os meninos. Conclui-se que os níveis de força da preensão da mão direita e mão esquerda se correlacionam positivamente no caso das meninas associado às variáveis objeto de estudo. Detecta-se com um baixo nível de condição muscular ao 26% de participantes Aplicabilidade Prática: Ao identificar os índices de condição muscular desde a avaliação de força preensão pode ser estimado a relação com a antropometria estabelecendo-se o nível de risco cardiovascular.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais (IFSULDEMINAS)
Pró-Reitoria de Extensão (PROEX)
Avenida Vicente Simões, nº 1111 - Nova Pouso Alegre
Pouso Alegre-MG
CEP: 37550-000