CARACTERÍSTICAS DE ADOLESCENTES JOGADORES DE POKÉMON GO DO MUNICÍPIO DE RIO CLARO – SP

Lourenzo Volpi da Silva Oswaldino, Deisy Terumi Ueno, Ana Elisa Messetti Christofoletti, Eduardo Kokubun

Resumo


Introdução: Após seu lançamento em 7 de julho de 2016, o jogo Pokémon Go se consolidou como um marco cultural, principalmente no âmbito da tecnologia e entretenimento, estudiosos reconhecem que o mesmo oferece benefícios para saúde, onde através da realidade aumentada, o usuário interage com o mundo real, realizando exercícios proporcionados pela jogabilidade do jogo, como o encorajando a ficar de pé, sair e explorar cidades e vilas para caçar pokémons por exemplo, como é escrito no site do fabricante, oportunizando também maior sociabilidade dos jogadores. Objetivo: Verificar as características dos adolescentes que jogaram o Pokémon Go. Metodologia: Foram entrevistados 482 adolescentes do ensino fundamental dos anos finais e ensino médio de escolas públicas e particulares do município de Rio Claro - SP. Para coleta dos dados foi utilizado questionário sociodemográfico e sobre o jogo Pokemon Go. Realizou-se análise descritiva dos dados (média, desvio padrão e porcentagem). Resultados: Foram utilizados dados de 177 adolescentes que relataram ter jogado o jogo ao menos 1 vez. Os adolescentes tinham idade média de 14,1±2,1 anos, 58% (n=104) eram do sexo masculino, 65% (n=115) eram de escolas públicas, 60% (n=106) estudantes do ensino fundamental e 38% (n=67) de classe econômica B2. Com relação ao jogo, a maioria (64%, n=112) relatou ter jogado somente por 1 mês ou menos, sendo destinado ao menos 1 hora para o jogo (31%, n=55) nos 7 dias da semana (33%, n=56). Quanto a forma de caça de pokémons, o meio mais frequente era a pé (92%, n=167), seguido por carro (17%, n=30) e de bicicleta (14%, n=27). Os locais mais frequentados eram rua (31%, n=55), praça (30%, n=53%), casa (21%, n=38) e outros (18%, n=31). Conclusão: Verificou-se que garotos, alunos de escola pública e estudantes do ensino fundamental de classe econômica B2 foram os que mais jogaram Pokémon Go. Ao analisar a forma de jogar observamos que o meio mais utilizado para caçar Pokémons era a pé e o local mais frequentado era rua, no entanto 64% apontou só ter utilizado o jogo por 1 mês ou menos. Aplicabilidade Prática: Conhecer como o fenômeno Pokémon Go afetou os adolescentes da cidade Rio Claro, conhecer as características dos jogadores, quais as formas e lugares que mais frequentavam enquanto jogavam, propicia maior entendimento sobre a área, possibilitando levantar dados que contribuam para o desenvolvimento de novas estratégias eficazes para a promoção de saúde, sem esta ser o foco principal.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais (IFSULDEMINAS)
Pró-Reitoria de Extensão (PROEX)
Avenida Vicente Simões, nº 1111 - Nova Pouso Alegre
Pouso Alegre-MG
CEP: 37550-000