DIFICULDADES PARA IMPLEMENTAR UMA INTERVENÇÃO DE ATIVIDADE FÍSICA EM UMA VILA DE IDOSOS: VISÃO DOS PROFISSIONAIS DE EDUCAÇÃO FÍSICA

Paula Raquel de Souza, Letícia de Paula Nascimento, Stefanny Batista dos Santos, Luis Henrique Arena, Eduarda Cristina Morais Silva, Priscila Nakamura

Resumo


Introdução: “Dançar é movimentar-se, é uma forma de exercitar o corpo se divertindo e interagindo com as pessoas. Ao dançar várias capacidades são trabalhadas, promovendo interação de forma descontraída sendo uma ótima opção para o público idoso, pois os mesmos são convidados a

estimular seus sentidos respeitando suas limitações (Fortes, 2008)”. Entretanto, propor e implementar uma intervenção em idosos de baixa renda que vivem em asilos, não é uma tarefa fácil, pois os mesmos apresentam uma série de limitações físicas e psicológicas. Objetivo: Relatar a experiência dos alunos de graduação em educação física de implementar uma intervenção para promover a dança e alimentação saudável em idosos. Metodologia: O trabalho foi desenvolvido com 21 idosos asilados. A atividade foi dividida em duas intervenções com duração de 60 minutos cada. A primeira intervenção houve aplicação de um questionário, alongamento e atividades envolvendo a dança expressionista proposta por Laban. No segunda dia foi realizado um breve Aconselhamento baseado na análise dos resultados do questionário, considerando a orientação para a prática de atividade física e seus benefícios para o controle e tratamento de doenças como diabetes e hipertensão, além de uma discussão sobre hábitos alimentares saudáveis e apresentação de imagens representativas sobre quantidade de açúcares e sódio contida nos alimentos industrializados. Resultados: Falta de um espaço adequado para a prática, dificuldade na mobilidade por parte de alguns idosos, vergonha, medo de não conseguir realizar a atividade, falta de materiais disponíveis no local, foram as principais dificuldades encontradas para realizar as intervenções no asilo. Inicialmente houve a participação de somente dois idosos, mas de acordo com o fluir da aula os que estavam ao redor apenas observando perceberam que a atividade proposta era de fácil realização e então, seis deles decidiram envolver-se na atividade. A música foi uma facilitadora no processo, utilizamos músicas que eles gostavam e isso os motivou e deixou o ambiente mais agradável. Também foi muito interessante as discussões sobre alimentação, no qual nós conseguimos solucionar algumas dúvidas e apresentá-los várias dicas de uma alimentação mais saudável. Ao final das intervenções quando nos despedimos, mesmo aqueles que apenas observaram as atividades nos questionaram qual dia iríamos retornar, isso nos fez perceber que mesmo havendo resistência por parte de muitos deles, eles percebem a importância da prática da atividade física. Conclusão: O desenvolvimento deste trabalho foi uma experiência construtiva que nos permitiu constatar que mesmo com algumas dificuldades é possível introduzir na Vila Vicentina um Projeto de Atividade Física e Saúde. Aplicabilidade Prática: Inserir a música em intervenções com idosos, pois o mesmo auxiliou em melhorar o ânimo dos idosos para a prática de atividade física.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais (IFSULDEMINAS)
Pró-Reitoria de Extensão (PROEX)
Avenida Vicente Simões, nº 1111 - Nova Pouso Alegre
Pouso Alegre-MG
CEP: 37550-000