VOLEIBOL COMO ASPECTO PEDAGÓGICO

Nádia Cabanhas do Nascimento, Alessandra Gonçalves Rosa, Cléia Renata Teixeira de Souza

Resumo


Introdução: voleibol é uma modalidade de jogo de competição que pode apresentar diferentes discussões e pesquisas, importando aqui a atenção às pessoas as pessoas que praticam o voleibol, o interesse delas pelo esporte tanto como o interesse no lazer quanto para treinamento esportivo, como para ensinar e ainda considerar questões como marcadores caracterizando as diferenças sociais, raciais, estéticas e referentes a sexualidade e gênero. É muito difícil identificar uma modalidade esportiva que fuja dos preconceitos existentes, resultando assim em exclusões tanto na infância quanto na fase adulta por receio de práticas esportivas denominadas de menina e de menino. Segundo Bocchini e Maldonado (2015) lutar contra tal racionalidade extrapola a compreensão escolar, nessa disputa o saber não hegemônico é considerado inferior, logo, a naturalização e exclusão das diferenças tornam-se quase inevitáveis. Objetivo: O objetivo do estudo é observar e questionar através de autores dessa temática, fatos relacionados ao preconceito no voleibol, desde o machismo nesta modalidade esportiva. Visto que são ‘problemas’ ao qual vivemos desde que os homossexuais começaram a demonstrar suas opções e escolhas sexuais dentro do esporte, não importa o lugar que estamos em alguns lugares o preconceito é menor e em outros é maior. Metodologia: A base metodológica foi à qualitativa e bibliográfica, observada através dos autores desta temática, onde vivenciaram essas práticas nas instituições desde o ensino fundamental e médio, espaços de lazer, universidades na cidade de Corumbá-MS. Resultados: Resultando além da exclusão dos participantes interessados não somente nesta modalidade, mas também nas demais práticas corporais esportivas, formas que nos ajudem a modificar essas práticas havendo assim a inclusão de todos para a várias práticas fazendo parte do esporte ao qual deseja praticar. Conclusão: Desse modo, concluímos que a sociedade já impõe determinados limites a seu praticante independente da modalidade esportiva praticada, fazendo sempre essa separação de gêneros e de culturas. Nós como futuros e atuais docentes, devemos desenvolver essa quebra de preconceito nas escolas, na sociedade e até mesmo em nossa família para que o esporte seja praticado e valorizado com respeito. Aplicabilidade Prática: Existem diversas formas de reduzir o preconceito dentro das práticas do voleibol, uma delas que pode ser trabalhada desde as fases iniciais na escola, a não distinção entre meninos e meninas para as aulas, incluindo propostas pedagógicas com caráter inclusivo e não discriminatório. Atividade prática: o voleibol coletivo, sem separação de sexos, dentro de suas regras ou não, podendo ser também um jogo modificado com várias bolas, jogo reduzido diminuindo o tamanho da quadra e sendo apenas três jogadores onde dois deles são meninas.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais (IFSULDEMINAS)
Pró-Reitoria de Extensão (PROEX)
Avenida Vicente Simões, nº 1111 - Nova Pouso Alegre
Pouso Alegre-MG
CEP: 37550-000