PERCEPÇÃO DOS ALUNOS DE CANOAGEM EM RELAÇÃO A APLICAÇÃO DAS AULAS

João José de Oliveira Cesário, Rafaela Nayara Lara Pessoa, Thales Teixeira Bianchi

Resumo


Introdução: Desde a pré história a canoagem é utilizada como meio de locomoção e até mesmo para sobrevivência (caça e fuga). Com a aprendizagem e o desenvolvimento das técnicas se tornou um esporte olímpico. As intervenções pedagógicas realizadas projeto de canoagem são baseadas na abordagem desenvolvimentista, que segundo Tani (1988) tem como foco ensinar e aperfeiçoar as habilidades motoras através de atividades de acordo com a faixa etária que se encontra cada aluno. Objetivo: Analisar as perspectivas dos alunos em relação à maneira dos professores aplicarem as aulas e as atividades propostas. Metodologia: Esta pesquisa foi de cunho quantitativo. Os dados foram coletados através de um questionário aplicado em 38 alunos que participam do projeto de Canoagem do IFSULDEMINAS Campus Muzambinho que é um projeto social que atende cerca de 80 alunos. Os critério de inclusão foram: estar matriculado no projeto de canoagem, ser iniciante e estar disposto a responder o questionário. No total foram aplicados 14 planos de aulas envolvendo atividades como: brincadeiras na quadra, circuito físico na quadra, atividades de atletismo, brincadeiras na piscina, treinamento das técnicas de natação na piscina e atividades específicas da canoagem como a técnica de remada, equilíbrio da embarcação e controle da embarcação. As atividades aconteceram no Laboratório de Atividades Aquáticas, Laboratório de Campo e Pista e na quadra, sendo todos estes localizados no Centro de Ciências Aplicadas à Educação e Saúde (CeCAES). Os participantes do projeto têm de 7 a 14 anos e são alunos de escolas públicas do município de Muzambinho. Todos os alunos que responderam o questionário levaram um termo de consentimento livre e esclarecido para os responsáveis assinarem, para que posteriormente fossem incluídos na pesquisa. Resultados: Para ensinar crianças e adolescentes temos que acima de tudo considerar a cultura popular de cada um, sugere também que conserve o lúdico e o recreativo, preservando assim a base do aprendizado da criança em seu próprio meio, que é a brincadeira e o jogo é o que Montagner (2009) nos fala em seu trabalho, sendo assim as atividades foram propostas respeitando seus limites e individualidades e sempre alternando entre as aulas, mesclando atividades mais motivantes, como às brincadeiras, com as atividades mais específicas. Quando questionado sobre a atuação dos professores em relação às atividades propostas, cerca de 98% dos alunos responderam que estavam satisfeitos e cerca de 2% se mostraram insatisfeitos. Conclusão: Sendo a metodologia utilizada pelos professores buscando a inclusão e aprendizagem de todos os alunos pode-se concluir que foi aprovada por grande parte deles, onde os mesmos continuaram na prática e se mostraram satisfeitos em relação às atividades. Aplicabilidade Prática: Estudar os diferentes tipos de abordagem de ensino, para posteriormente identificar qual se identifica melhor com o público alvo atendido.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais (IFSULDEMINAS)
Pró-Reitoria de Extensão (PROEX)
Avenida Vicente Simões, nº 1111 - Nova Pouso Alegre
Pouso Alegre-MG
CEP: 37550-000