AFRICANIDADES: UM RESGATE HISTÓRICO A PARTIR DE JOGOS E DANÇAS AFRICANAS

Nayara Priscila da Paixão, Tuffy Felipe Brant

Resumo


Introdução: Historicamente, há uma exclusão da cultura negra em relação à cultura oficial, negando a influência desses povos na constituição da cultura brasileira (NUNES, 2011). Objetivo: O

objetivo deste trabalho é relatar uma intervenção pedagógica com o tema Africanidades, a partir dos conteúdos jogos e danças. Metodologia: Este trabalho é qualitativo e foi desenvolvido na Frente de Apoio ao Menor de Muzambinho (FAM) no ano de 2017, junto do GEPEGIND (Grupo Extensão e Pesquisa em Ginástica e Dança) do curso de Educação Física –IFSULDEMINAS. As intervenções foram desenvolvidas tendo como tema central “Africanidades”, e conteúdos jogos e dança. Participaram do projeto 6 turmas, com média de 25 alunos cada, compostas por alunos da FAM, que tinham de 4 a 12 anos de idade. Resultados: As crianças pareciam ter uma visão limitada da “África”. Relatavam uma “África pobre e miserável”. No desenvolver de certos jogos, os alunos perceberam semelhanças entre jogos e brincadeiras que conheciam com os jogos e brincadeiras africanas. Conversamos sobre a influência da cultura africana na brasileira, não somente nos jogos, mas em outros setores como na música, comida e danças. Em sequência, apresentamos aos alunos a dança Carimbó, considerada patrimônio imaterial do Brasil. Começamos a desenvolver atividades rítmicas e expressivas, pois observamos que alguns alunos tinham dificuldades em se expressarem corporalmente. No segundo momento criamos uma coreografia coletiva de Carimbó. Durante o processo, muitas crianças desistiram, principalmente meninos, que disseram preferir o futebol. Entendemos que isso pode relacionado ao problema da dança ser ainda considerada um conteúdo só para meninas. Conclusão: É consenso na literatura e em documentos oficiais como a BNCC, a importância de se trabalhar os elementos culturais africanos e seus desdobramentos na cultura brasileira. Entendemos ser estes elementos potencialmente educativos e grande relevância social, capazes de contribuir no processo de formação humana. Há necessidade de abordá-los, principalmente por ainda vivermos em uma sociedade que privilegia padrões europeus. Trazer experiências que privilegiem referências positivas dos negros no Brasil,faz com que alunos possam valorizar mais a cultura negra no Brasil,que muitas vezes não são descobertas. Portanto, as práticas educativas devem promover o conhecimento da diversidade, de modo que esta seja respeitada e valorizada, para que possam promover diálogos e avanços positivos nas relações raciais dentro e fora da escola. Aplicabilidade Prática: Diante da relevância social do tema, este trabalho traz reflexões sobre a importância do seu trato pedagógico, assim como sugere possibilidades de abordá-lo na educação física escolar.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais (IFSULDEMINAS)
Pró-Reitoria de Extensão (PROEX)
Avenida Vicente Simões, nº 1111 - Nova Pouso Alegre
Pouso Alegre-MG
CEP: 37550-000