EQUILÍBRIO E RISCO DE QUEDAS EM IDOSAS ATIVAS: INFLUÊNCIA DO TREINAMENTO CONCORRENTE

Elisângela Cristiane da Silva, Albano Luiz da Cruz, Alef Inacio, Rebeca Viana, Vera Borges, Vitor Figueiredo, Tamires da Silva, Elisângela Silva

Resumo


Introdução: Atualmente, sabe-se que um dos principais fatores que limitam a vida do idoso é a redução da capacidade de se equilibrar, podendo levar a quedas. No Brasil, pelo menos 30% dos idosos caem ao menos uma vez ao ano e 13% caem de maneira recorrente. Objetivo: O presente trabalho visa analisar a influência de diferentes tipos de combinações de treinamento resistido e de endurance, sobre o equilíbrio e o risco de quedas de idosas Brasileiras. Metodologia: A amostra foi composta por 28 idosas participantes do Projeto de Extensão Vida Saudável do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais, Campus Muzambinho, com idade 71,2+13,01 anos, peso 64,9+5,10 kg e estatura 154,3+6,50 cm. Estas foram divididas nos seguintes grupos: MIX – que consistia na realização do treinamento de força e de resistência intercalando-se os exercícios; Endurance + força (EF) – onde seus participantes realizaram o treinamento de endurance seguido pelo de força; Força + Endurance (FE) – neste, o treinamento de força foi realizando primeiro e na sequência o treinamento de endurance; e Controle (CONT) – no qual as participantes não realizaram nenhum tipo de atividade. A intervenção teve duração de 3 semanas em três dias alternados, totalizando 9 sessões. O treinamento de endurance consistia em 20 minutos de atividade aeróbica e o treinamento de força foi realizado através de 8 exercícios utilizando-se da carga máxima que o sujeito conseguia levantar entre 8 a 12 repetições. Para determinação do risco de quedas da amostra deste estudo fez-se uso dos instrumentos Fall Risk Test realizado na Biodex Balance System e para apresentação do nível de equilíbrio utilizou-se da Escala de Equilíbrio de Berg (MIYAMOTO et al., 2004). Para análise estatística foi utilizado o teste de Kruskal-Wallis e Wilcoxon no SPSS-21, adotando-se p<0,05. Resultados: Constatou-se um aumento significativo equilíbrio, observado através do teste de Berg, para o grupo MIX (p=0,006), bem como uma redução significativa no risco de quedas, medido através do Fall Risk Test (p=0,022) para o mesmo grupo. Não foram observadas diferenças significativas entre os grupos. Conclusão: Concluímos que apesar de não haver diferenças significativas entre os grupos, o grupo MIX apresentou um resultado positivo em relação ao pré e pós-teste, através de um aumento no equilíbrio e uma redução no risco de queda. Aplicabilidade Prática: Para aumento do equilíbrio e redução do risco de queda em idosos, de acordo com esse estudo, deverá ser utilizado o treinamento de força e de resistência intercalando-se os exercícios.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais (IFSULDEMINAS)
Pró-Reitoria de Extensão (PROEX)
Avenida Vicente Simões, nº 1111 - Nova Pouso Alegre
Pouso Alegre-MG
CEP: 37550-000